segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Do concurso


O sono não vem... Talvez seja o incomodo do torcicolo, ou talvez seja a minha dificuldade de assimilar que consegui passar no primeiro concurso público que prestei. Não há possibilidade de me vangloriar com este feito, dirigindo à minha inteligência ou capacidade a causa para este resultado. Porque vivenciei cada detalhe na dependência total de Deus. Lembro que em cima de uma palavra, um vislumbre de esperança do que passar num concurso poderia gerar no meu cotidiano, eu caminhei. Um dia de cada vez. Muitos de completa exaustão depois de um dia cansativo e cheio de desafios e afrontas. Emocionalmente e fisicamente exausta.

Lembro com clareza das minhas respirações profundas, meu desejo de continuar dormindo e até mesmo desistir, quando orava a Deus no silêncio da minha fraqueza e depois levantava vagarosamente e andava.

Algumas pessoas sabem que estudar para concurso nunca foi uma meta na minha vida. Ao contrário, não me via fixada a um lugar fazendo um trabalho metódico e constante como o de servidor público. Mas de repente, era justo esta porta, que poderia me dar a oportunidade de fazer o que amo, sem roubar todo o meu tempo e minhas forças.
Estudei quatro meses e me esforcei de verdade, dentro dos meus limites, queria fazer minha parte crendo que o Senhor poderia fazer a parte dele. Tive fé para acreditar que poderia acontecer comigo.

Estou meio abobalhada ainda. Não consigo assimilar bem esta benção. É meio constrangedor. Realmente não é fácil receber algo que você não merece.

Penso no futuro e não sei o que me espera, mas é uma expectativa boa, não pelo fato de daqui a pouco ter um emprego estável, que talvez não passe mais por aquela experiência terrível de ficar tantos meses desempregada, mas por essa certeza de que Deus está muito perto, se importando e cuidando tanto de mim. Essa certeza de sentir seu sorriso de Pai orgulhoso, com aquele olhar de quem possui toda a sabedoria e conhecimento em suas mãos e que sempre tá ali torcendo por vc de mãos estendidas para abençoar, seja permitindo experimentarmos as cruezas da vida de forma penosa e dolorida, seja nos mimando com presentes como estes.

Chego a lembrar de um versículo bíblico e da minha aliança com ele. De todas as experiências que tenho vivido, apesar da vista tantas vezes embaçada, a certeza da presença dele, meu consolo. O seu amor realmente não se afasta de mim.

Ele é muito real e a fidelidade Dele é uma promessa e um alento.

Obrigada por esta vitória e que minha vida, meu testemunho e meus atos retratem sempre quem tu és.

Nenhum comentário:

Postar um comentário