sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Apesar de.

"Lóri: uma das coisas que aprendi é que se deve viver apesar de.
Apesar de, se deve comer. Apesar de, se deve amar. Apesar de, se deve morrer. Inclusive muitas vezes é o próprio apesar de que nos empurra para a frente. Foi o apesar de que me deu uma angústia que insatisfeita foi a criadora de minha própria vida."

[Clarice Lispector, Uma aprendizagem ou O livro dos prazeres, p.33]

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Pai..

Sempre presente... E eu que lamentava quando criança tê-lo ausente.Trabalho, trabalho, trabalho...
Sentia falta de mais carinho, atenção, diversão... Via-o sempre ocupado, correndo, estressado, tinha uma visão errônea... Não conseguia aceitar esse afeto demonstrado com "esforço de adquirir condições para dar-me uma vida boa, sem falta de nada"... Minha mente de criança não alcançava que estava sim, muito presente, apesar de.
Os anos trouxeram o amadurecimento e a clareza para discernir, que precisava saber lidar com seu temperamento, tão firme, forte, teimoso e sensível...Com ele, é tudo com jeitinho, muita conversa e beijinhos..
Uma lembrança forte da minha infância era da Kombi... Marca registrada sua. Coisa de comerciante, sempre Kombi, cheia de verduras e produtos no fim da tarde... Lembro dos atrasos ao nos buscar na escola. Meu coração se enchia de alegria quando via chegando aquele carro barulhento e grande do papai. Ali representava mais uma faceta sua. Homem simples, sem muitas vaidades...
Ao sair de casa. Deparei-me com sua ausência e senti tanto... Daqueles momentos em que chegava tarde da noite em casa sempre com uma melancia..ou uma coisinha gostosa e ia pra sala com sua janta aproveitada do almoço... ao seu modo... Como era bom roubar ali, mesmo em competição com a TV... Alguns momentos de carinho, de aconchego e de conversas...Chego recordar dos “huns!” e das mudanças radicais de assunto, ao falar de rapazes e dos meus sentimentos...
Além do homem responsável, honesto, batalhador e bom, ele se revelou um grande amigo. Com seu amor incondicional, consegue fazer o feito de me sentir uma princesa, na qual possui alguém que faria tudo por ela..
Mesmo tão longe, depois de 10 anos, ele consegue cuidar de mim, me faz sentir que não estou sozinha. Sou grata pela paciência nas conversas, nas crises e nas dores...
Independente das falhas, inerente a todos... Posso dizer com toda paz, certeza e orgulho que ele é sim, meu herói. Meu amigo, meu refúgio, meu papai.
Quando sua imagem vem a minha mente, lembro de amor. Ele é repleto de amor. E agradeço a Deus por isso. Algumas pessoas dizem que sou especial e me admiram... Elas não sabem de onde eu vim quem foi meu referencial, meus genitores.
Mais uma vez digo: Tamanho é meu orgulho de vir de você, de ser seu sangue, sua bonequinha e sua filha.
Te amo..sempre.
Ao pai dia 08.08