segunda-feira, 25 de maio de 2009

Retornar para Ele...

Dei uma olhada neste blog e vi o quanto tenho preguiça de escrever..que boa jornalista ein?...
Quando não se tem vontade ou disposição pra criar alguma coisa, cópias são sempre bem vindas. Principalmente, quando são interessantes...Então, para não abandonar de vez esta página que na verdade não sei ao certo sua finalidade, vou deixar um trecho de um livro que estou lendo. Chama-se A Cabana, de Willian P. Young.

..."O mundo está partido porque no Éden vocês abandonaram o relacionamento conosco para afirmar a própria independência. A maioria dos humanos expressou isso voltando-se para o trabalho das mãos e para o suor do rosto em busca da identidade, do valor e da segurança. Ao optar por definir o que é bom e o que é mau, vocês buscam determinar seu próprio destino. Foi essa reviravolta que causou tanta dor.
Jesus se firmou no pedaço de madeira para se levantar e parou enquanto Mack terminava de comer o sanduíche e se levantava também. Juntos, começaram a andar pela margem do lago.
_ Mas isso não é tudo. O desejo da mulher..na verdade a palavra é a "virada". Assim, a virada da mulher não foi a obra de suas mãos e sim para o homem, e a reação dele foi "dominá-la", assumir o poder sobre ela, tornar-se o governante. Antes dessa escolha, a mulher encontrava sua identidade, sua segurança e sua compreensão do bem e do mal apenas em mim, da mesma forma que o homem.
_ Não é de espantar que eu me sinta um fracasso tão grande com Nan. Não consigo ser isso para ela.
_ Você não foi feito para ser. E, ao tentar, estará brincando de Deus.
_ Há alguma saída para isso?
_ É simples demais, mas nunca é fácil para vocês. A saída é voltar-se para mim. Abrir mão de seus hábitos de poder e manipulação e simplesmente voltar-se para mim. _ Jesus parecia estar implorando._ As mulheres, em geral, acham difícil dar as costas para um homem e parar de exigir que ele atenda às suas necessidades, que proporcionone segurança e proteja a identidade delas. Acham difícil retornar para mim."...

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Boa música..



Dani, minha nova amiga mineira, me apresentou esta música. Eu adorei..

Inclusive o título deste blog é em sua homenagem..

domingo, 10 de maio de 2009

Dor de dente..


Dizem que não existe coisa pior que dor de dente..
será?
Se não for a pior, é uma das piores..
É uma dor apertada, forte, é como se tivessem fincando um prego na sua gengiva, sem dó nem piedade, ora martela, ora é fina..
Sinceramente, só sentindo pra saber..
Estou desde ontem com dor de dente, mesmo com 25 anos, ainda sou acometida por este mal..
E pior.. escondida aqui no fim do mundo, longe de tudo e de todos, gemendo numa cama solitária..e ainda no dia das mães..
Por falar nisso, que saudade da minha mãe..
Ontem, no ápice da minha dor, quando uns bons samaritanos cuidaram de mim e me levaram no hospital, lembrei da minha infância..no saculejo do carro, de olhos fechados e careta de dor, lembrei da minha mãe..do meu pai..e uma cena persistente na minha mente que vivi na minha infância..
É sério!
Lembro do meu irmão mais novo, assustado com meus gritos e meus berros dizendo que ia morrer!!
Não esqueço... ele ao lado da cama chorando, segurando minha mão, beijando-a e dizendo: _Não maninha! não diz isso! vc não vai morrer, não vai morrer! (pela carinha dele, ele achava que eu realmente poderia morrer..rs)

Enquanto isso, meus pais arrumavam o telefone de um dentista em plena madrugada.. A casa estava um fuzuê, no dia seguinte iríamos viajar, toda a família de férias...A viagem poderia ser cancelada! para o desespero de todos.
Nossa, como é gostoso lembrar daquele dia, que vai ficar marcado na minha memória pra sempre..Meu pai, tão linda a carinha de preocupado dele..aquela que vc entende que ele faria de tudo pra sentir aquela dor por vc, só pra te aliviar..
E minha mãe, lembro da respiração dela no lugar de carona do carro, me abraçando, me afagando toda hora..como se aquilo fosse o remédio que eu precisava..
Lembro da cara inchada no dentista abrindo o consultório, paciente..me acalmando dizendo que ia passar.. Ele mexeu, virou, aplicou umas coisas, fez um curativo..e pra alegria e alívio de todos, ele disse que não precisávamos cancelar a viagem, não sentiria mais dor e dava pra tratar o dente quando voltássemos..
No dia seguinte, além da cabeça doendo de tanto chorar e os olhos inchados..tudo correu bem e saímos de viagem ainda sem o sol...Lembro dos mimos, dos cuidados e te todos os dengos necessários para a Jarlene ficar bem e prosseguirmos nossa viagem em família..uma das poucas e raras que tivemos..
Bons tempos aqueles..
Saudade deles, saudade da família, saudade do barulho..da bagunça, das arrumações..da grande kombi branca do papai..saudade.
..